Fórum Online - Dia Internacional de Atenção à Gagueira

Escolha de Objetivos Terapêuticos para Distúrbios de Fluência: Programa ou Processo?
por Anelise Junqueira Bohnen


De 16 a 22 de outubro de 2005

A concepção de terapia fonoaudiológica para os distúrbios de fluência está alicerçada nas concepções de ser humano de cada profissional e de cada pessoa que gagueja.

Faz muita diferença se a concepção é de gago ou de pessoa que gagueja. Se é de uma pessoa que aceita passivamente integrar-se num programa, ou de uma pessoa que participa de todas as etapas de decisão e realização da terapia. A partir destas concepções é que se pode falar sobre a escolha dos objetivos a serem atingidos na terapia fonoaudiológica para os portadores de distúrbios de fluência.

Uma concepção de terapia fonoaudiológica centrada na pessoa que gagueja (PQG) e não na patologia, permite desenvolver um processo terapêutico que corresponda às necessidades específicas de cada sujeito. Portanto, é preciso diferenciar um processo terapêutico de um programa terapêutico.

Um programa terapêutico é pré-determinado. Existe por si próprio, é centrado na patologia, não na pessoa. Não considera as diferenças individuais e proporciona um enquadramento da pessoa que gagueja naquele formato específico. Por isso, boa parte das vezes não funciona conforme o programado.

Um processo terapêutico tem a pessoa que gagueja como centro. Responde às necessidades de um indivíduo em especial, preconiza a discussão do que fazer, quando fazer, por que fazer, onde fazer, que medida pode ser adequada àquela pessoa em particular. Pressupõe o estabelecimento de hierarquias, onde as aprendizagens são interligadas e relacionadas entre si e vislumbra o alcance dos objetivos em situações de vida real.

A terapia para portadores de distúrbios de fluência é uma integração de objetivos e o seu progresso segue uma hierarquia de dificuldades a serem entendidas e superadas. É um processo multidimensional, de fazer decisões e de resolver problemas junto com a PQG. O estabelecimento de objetivos é essencial para permitir uma postura ativa do sujeito e auxilia na elaboração da estratégia de ação, além de servir de critério para se saber em que medida os objetivos foram alcançados. Para obter-se resultados positivos na intervenção, é preciso estabelecer objetivos possíveis de realizar, considerar e adequar as expectativas da PQG ao processo terapêutico, com a intenção de maximizar os aspectos positivos e minimizar os negativos. O tempo médio de terapia ficará na dependência dos critérios quantitativos e qualitativos a serem atingidos. Alguns dos objetivos que precisam ser trabalhados durante um processo terapêutico devem facilitar:

o aumento da coordenação entre as funções respirar e articular as palavras
o aumento da qualidade do planejamento motor
contatos leves nos pontos de articulação
a redução da velocidade da fala
o aumento do tempo de espera entre turnos
a melhora do planejamento da linguagem
o aumento da manutenção do fluxo de ar e/ou sonoridade
a redução da tensão durante os bloqueios
contatos articulatórios leves
o aumento da percepção das diferenças entre sons longos e curtos, surdos e sonoros, tensos e relaxados
o planejamento da linguagem e da coordenação motora
as atitudes positivas frente às situações de fala
a melhora da atitude frente ao ato de comunicar-se
reforçar a nova fala fluente

Também é preciso esclarecer-se a respeito do conhecimento do profissional sobre a gagueira. Atualmente, é impossível negligenciar as contribuições das neurociências para o entendimento desta ruptura no fluxo da fala. Estas contribuições redirecionam o pensar a gagueira e o fazer terapêutico da Fonoaudiologia para este distúrbio. E deveriam instigar a todos para a pesquisa e a compreensão daquilo que ainda não está completamente desvendado.

As pessoas adultas que gaguejam devem procurar um profissional com formação específica. Esta deve ser a primeira opção, sempre que possível. Informar-se a respeito dos avanços relatados na literatura, aceitar que a gagueira ainda não tem cura, não tem graça, mas tem tratamento. Aos adultos que lidam com crianças que gaguejam, a recomendação é a mesma, com uma importante e especial atenção para a faixa etária. Portanto, não espere! Assim que a criança iniciar a gaguejar, procurar um fonoaudiólogo com formação na área. Crianças que gaguejam não devem tornar-se adultos que gaguejam. Como já se sabe, há tratamento. E este tratamento é fonoaudiológico.

Anelise Junqueira Bohnen é fonoaudióloga (CRFa/RS 5587), docente do Curso de Fonoaudiologia da ULBRA (RS), doutoranda no Instituto de Letras da UFRGS na linha de pesquisa "A Linguagem no Contexto Social" e autora de livro, capítulos e artigos científicos.


Perguntas e Respostas


Nome ou iniciais: Fábio Bremenkamp
Cidade/Estado: Vitória/ES
Profissão: Estudante / Webdesigner
Pessoa que gagueja? Sim
Familiar de pessoa que gagueja? Sim
Postado em: 17/03/2009 17h47min

Pergunta:
Anelise, Até que ponto a adenóide pode influenciar na piora da gagueira? Desconfio que tenho adenóide (tenho q marcar um otorrino, rsrs), e acredito que se eu tiver e esse problema for sanado, poderei melhorar da gagueira. é possível?


Resposta:
Prezado Fábio. Primeiro, obrigada pela tua pergunta. Poderá ajudar a outras pessoas que gaguejam que tenham dúvida semelhante.

Adenóides aumentadas são comuns em crianças pequenas. Estão localizadas na parte superior da garganta, no fundo do nariz por onde passa o ar que respiramos. Não são vistas pela boca sem instrumentos especiais. As adenóides grandes ocorrem quase que exclusivamente em crianças pois após a puberdade normalmente as adenóides regridem de tamanho.

Os problemas de adenóides mais comuns são as infecções (de nariz, garganta e ouvido) e o aumento de tamanho, provocando problemas na respiração e na deglutição. Mas estes problemas raramente ocorrem com adultos. Como já tens 19 anos...

Talvez, ao invés de adenóides aumentadas poderás ser uma pessoa portadora de alergias respiratórias, principalmente rinites, uma vez que é comum a associação entre problemas alérgicos e doenças de amígdalas e adenóides.

Com essa breve explicação, te respondo o seguinte:

1. Se tens dúvidas sobre o funcionamento das tuas vias aéreas (ou rinites, ou adenóides, ou outras possibilidades como desvio de septo, etc.) deves procurar um rinologista. Este profissional poderá te esclarecer sobre esta questão e te recomendar os procedimentos necessários.
2. Se a gagueira piora com as vias aéreas obstruídas (seja por adenóides ou não)? Acredito que pode sim. A razão é que se não consegues respirar adequadamente, a sincronia necessária entre o respirar, o produzir voz e o articular pode ficar comprometida. Ou seja, precisamos estar com estas funções em bom estado para falarmos bem, com fluência e sem esforço. Também penso que o nariz obstruído deixa as pessoas mais cansadas ou mais agitadas e isso poderia interferir na qualidade da fluência. Mas não posso dizer que tua gagueira piora exclusivamente por causa de uma possível obstrução. Seria simplificar uma questão que tem muitas variáveis agindo simultaneamente.
3. Sugiro que tentes resolver a questão respiratória, não só para viveres melhor, mas também para não precisares usar este argumento como desculpa para momentos de piora da tua gagueira. Nos artigos publicados no fórum on line, verás que a respiração adequada é muito importante para melhorar a fluência. Porém, só liberar a respiração não deverá melhorar significativamente tua gagueira. Poderias te beneficiar muito com uma abordagem terapêutica mais completa, com um fonoaudiólogo especializado na área.

Um grande abraço
Anelise



Nome ou iniciais: JAIR DA SILVA SEFRIN
Cidade/Estado: Osório/indefinido
Profissão: Técnico Fazendário
Pessoa que gagueja? Sim
Familiar de pessoa que gagueja? Não
Postado em: 17/03/2009 17h48min

Pergunta:
Gaguejo desde a infância. Muito tenho sofrido e sofro com essa disfunção. Sou praticamente leigo no assunto, mas, pelo pouco que busquei através de cursos de dicção, textos, etc, acretido que o meu problema seja tensão muscular (nas cordas vocais) ?? Sinto um aperto pela garganta, como se essa musculatura estivesse tensa?? O que eu sei até o momento procede?? Existe recurso ( mais efusivo) que pudesse fazer com que eu falasse corretamente e fluentemente, podendo assim falar, pensar e escrever mais ordenadamente???


Resposta:
Prezado Jair
A gagueira se manifesta de diversas formas e em várias partes do teu sistema fonoarticulatório. Pelo que relatas, a região do pescoço parece ser onde mais sentes a gagueira. Seria interessante investigar se há de fato tensão nas pregas vocais, como dizes, ou são outros grupos musculares que involuntariamente interferem no teu fluxo de fala.

Recursos mais "efusivos"? O que existe é trabalho fonoaudiológico sério, que te possibilitará falar com mais qualidade. Importante é que entendas que não existe solução milagrosa. Tratar a gagueira exige persistência, compreensão realística das tuas habilidades e capacidades e uma revisão do entendimento do que é a gagueira hoje, a luz da ciência e das neurociências. Já constataste que lidar somente com uma parte do problema, como curso de dicção, não responde a todas as variáveis envolvidas na gagueira. Da mesma forma é o relaxar. Se somente relaxar resolvesse o problema, não estarias aqui conversando comigo, certo? Gagueira não tem cura, porém, não ter cura não quer dizer conformar-se, não significa que não te trates.

Mencionas pensar e escrever mais ordenadamente. Melhorar a forma de pensar e escrever deverá ser incluído nos objetivos que precisarias atingir num processo terapêutico.

Um abraço
Anelise



Nome ou iniciais: Amélia Paula Fávero Perrone
Cidade/Estado: ITupeva/indefinido
Profissão: Fonoaudióloga
Pessoa que gagueja? Não
Familiar de pessoa que gagueja? Não
Postado em: 17/03/2009 17h48min

Pergunta:
Estou atendendo uma cça de 5 anos com gagueira, seu pai também é gago mas ainda não está em terapia. Eles perguntaram-me se o fato do pai gaguejar serviria de modelo, no sentido negativo para a filha. Essa é a pergunta que faço a você. Grata. Amélia


Resposta:
Olá Amélia. Essa pergunta, no meu entendimento, faz parte daquelas clássicas que sempre temos que responder. Não há comprovação científica de que a gagueira de uma pessoa possa desencadear gagueira em outra pessoa, somente através da imitação ou da convivência. Costumo dizer que se gagueira fosse assim tão contagiosa, nós, que trabalhamos com pessoas que gaguejam há muito tempo, estaríamos com muita dificuldade de falar, não é mesmo?

O que precisamos fazer é esclarecer aos pais e professores sobre o fator hereditário envolvido na gagueira, que é significativo. Esse dado já é bastante compreendido. Mais de dois terços das pessoas que gaguejam têm parentes de primeiro e ou segundo graus que também gaguejam. Já tem outras respostas no fórum sobre o fator hereditariedade. Sugiro que vejas.

Discutir objetivamente e esclarecer este tema com pais e pacientes é fundamental. Imagina o que significa para uma criança saber que um dia resolveu "imitar" a gagueira do pai e então acabou gaguejando consistentemente. E para a família que, ao procurar um vilão para este distúrbio, fica culpando o pai por ele gaguejar e ainda por cima, ser um modelo negativo para a filha. Ambos os lados precisam ficar tranqüilos pois essa não é a questão principal. Pergunto: se a gagueira se instala por modelos negativos, para usar tua expressão, então se tratássemos do pai e esse se tornasse um modelo positivo, a filha imitaria a melhora e também ficaria melhor? Achas de fato que isso pode ser assim tão simples?

Pelo menos na minha prática clínica não tenho visto isso acontecer.

Essa é uma das tantas explicações do senso comum que não tem sustentação científica.

O fator aqui é entender a história familial positiva e parar de achar explicações que, ao invés de ajudar à criança e à família, na verdade pioram a convivência entre eles.

E tratar adequadamente, orientando e esclarecendo, será de grande valia para todos. Auxilia a encarar a realidade. A gagueira ainda tem sua causa desconhecida, tem um componente genético importante já compreendido, mas não passa de uma geração para outra em geração através da imitação

Espero ter ajudado.

Um grande abraço.
Anelise.



Nome ou iniciais: HELDER
Cidade/Estado: SÃO SEBASTIÃO DA BELA VISTA/MG
Profissão: MONTADOR DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS
Pessoa que gagueja? Sim
Familiar de pessoa que gagueja? Sim
Postado em: 17/03/2009 17h49min

Pergunta:
O QUE DEVO FAZER PRA PODER TER UM BOM RESULTADO NO TRATAMENTO FONOAUDIOLOGICO QUE DICAS VC PODERIA ESTAR ME PASSANDO PARA QUE EU POSSA USAR NO VIDA SOCIAL E PROFISSIONAL........POIS TENHO VISTO QUE COM O TRATAMENTO APRESENTEI MELHORAS MAS GOSTARIA DE USAR MAIS TECNICAS PARA TER UM BOA FLUENCIA PQ FICO ANCIOSO QD VOU FALAR EM PUBLICO AS PALAVRAS SOMEM E FICO NERVOSO MESMO SE PUDER ME AJUDAR AGRADEÇO??????

Resposta:
Olá, Helder, pelo que entendi, já estás em tratamento. E, neste momento, desconheço o que já trabalhaste. Assim sendo, eu teria uma boa chance de repetir aqui coisas que já aprendeste. No texto que está publicado no forum on line, menciono objetivos que são importantes atingir para uma melhora significativa da fluência.

Se a pessoa que te trata é fonoaudióloga, podes discutir com ela os objetivos que já alcançaste ou que ainda precisam ser trabalhados. E, a partir desta discussão, estabeleçam metas a conquistar.

Perguntas como estas que me fazes, entre outras, me motivaram a escrever um livro. Então, minha outra indicação seria te sugerir que comprasses esse livro. Chama-se "Sobre a Gagueira", foi lançado agora durante a Semana Internacional de Atenção à Gagueira, e custa apenas R$13,00 (treze reais). Se for permitido aqui nesta resposta, deixo os endereços eletrônicos que podes acessar para a aquisição do livro. Caso não possa, a Abra Gagueira tem estes endereços. O livro é escrito para pessoas como tu, portanto a linguagem é facilmente compreendida.

Clique aqui para acessar o endereço para comprar o livro.

Clique aqui para entrar no site que tem endereços e telefones dos distribuidores no Brasil, inclusive MG.

Espero que ajude.

Um abraço.
Anelise



Nome ou iniciais: Helder
Cidade/Estado: SÃO SEBASTIÃO DA BELA VISTA/MG
Profissão: MONTADOR DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS
Pessoa que gagueja? Sim
Familiar de pessoa que gagueja? Sim
Postado em: 17/03/2009 17h49min

Pergunta:
EU QUERIA SABER SE A GAGUEIRA É UM PROBLEMA EMOCIONAL TENHO DÚVIDAS SE TAMBÉM PODE SER PROBLEMAS PSICOLÓGICOS ,POIS GAGUEJO DESDE 14ANOS MAIS OU MEMOS QUE COMECEI A PERCEBER........ESTOU FAZENDO TRATAMENTOCOM UMA FONOAUDIOLOGA........E AS VEZES PERCEBO MELHORAS........PORÉM AINDA TENHO DÚVIDAS SE PODE SER EMOCIONAL OU ORGANICO?


Resposta:
Oi de novo, Helder.

As neurociências ainda não conseguiram desvendar completamente a causa da gagueira. Esta informação é importante porque, se ainda não conhecemos a causa, não podemos afirmar com certeza se é orgânica. Mas já sabemos que não é emocional ou psicológica. Olha só o que já sabemos:

Mais de dois terços das pessoas que gaguejam têm parentes que também gaguejam. Dizes que tens familiares que são portadores. Estás dentro das estatísticas relacionadas com os aspectos genético-hereditários da gagueira.

Também já se sabe que o cérebro dos que gaguejam funciona um pouco diferente do cérebro dos fluentes. Tem algumas regiões do cérebro que mostram dificuldades com o planejamento e a sincronia da fala.

Também já sabemos que existe uma ansiedade chamada de "ansiedade antecipatória", relacionada a experiências anteriores mal sucedidas, que pode interferir na fluência dos que gaguejam. Considera-se isso uma CONSEQÜÊNCIA, e não uma causa.

E, claro, como és uma pessoa que pensa, sente, age e se expressa através da linguagem, fatores cognitivos, comportamentais, psicológicos E orgânicos estão envolvidos. Uma parte inter-relaciona-se com as outras.

Portanto, minha resposta é: enquanto os cientistas não desvendarem por completo as causas da gagueira, deixa de te preocupar com isso. Não vais chegar a lugar nenhum que seja positivo, pois ainda não temos esta resposta.

Aproveita para ser assíduo no teu tratamento, discute tuas dúvidas com a fonoaudióloga que te atende, faz o que vocês combinarem de forma disciplinada e consistente. Desocupa a tua mente sobre a causa da gagueira. Quando esta for descoberta, todos saberemos! Enquanto isso, mãos à obra para buscar uma forma mais fluente de falar.

Obrigada pelas perguntas.
Anelise



Nome ou iniciais: Jorge de Oliveira
Cidade/Estado: Gaspar/indefinido
Profissão: Digitador
Pessoa que gagueja? Sim
Familiar de pessoa que gagueja? Sim
Postado em: 17/03/2009 17h50min

Pergunta:
Uma pessoa extressada ou com sentimento de inferioridade diante as outras pessoas podem ocorrer a gagueira? Pergunto isso porque eu me considero gago, e sou uma pessoa muito extressada e as vezes me sinto inferior as outras pessoas, mas não sei pq desse sentimento. Gaguejo muito em frente as pessoas, principalmente com palavras que começam com letras (PL, FR, PR, FL,BL), ou sempre nas letras mais fortes das palavras. Mas acontece que quando estou sozinhu já fiz experiencias tipo: falar na frente do espelho palavras que eu não consigo falar na frente de outras pessoas, e eu consigo numa boa, falo tudo muito certo, consigo ler qualquer coisa em voz alta sem gagueijar. Então gostaria de saber se realmente como eu so muito extressado isso poderia estar fazendu com que eu seja gago. A estava esquencendu, eu ja sou gago desde criança, e tambem já sou muito extressado desde criança também.


Resposta:
Oi Jorge, como vais? Fizeste muitas perguntas, o que é ótimo! Mas, por isso mesmo, a resposta vai ficar um pouco longa....

Para começo de conversa, posso te dizer que ansiedade, estresse e sentimentos de inferioridade, assim como "traumas", tombos e sustos, não causam gagueira. Podem, sim, aumentar tua freqüência de gagueira em algumas situações. Porém, quero enfatizar veementemente que qualquer pessoa, com ou SEM gagueira, que esteja estressada, ou com baixa auto estima, poderá apresentar momentos de disfluência. E o inverso também pode ser verdadeiro.

Podes comprovar isso quando falas na frente do espelho. Nesta hora, como não tens outras pessoas por perto, teus níveis de estresse ou ansiedade podem ficar tão baixos que não gaguejas. Acredito que se diminuíres teus níveis de estresse, tua gagueira poderá também diminuir de intensidade. Repara que eu disse "poderá diminuir". Isso não é uma regra. Conheço pessoas que gaguejam que ficam muito mais fluentes quando estão sob pressão.

Quanto às palavras que parecem ser mais difíceis:

O que os resultados das pesquisas nos apontam hoje é que há uma grande tendência de a gagueira aparecer nas primeiras sílabas das palavras e, ainda por cima, nos primeiros sons das primeiras sílabas. Parece que não faz muita diferença se essas sílabas são acentuadas ou não quando ocorrem dentro da palavra. Mas, como disse, pode fazer diferença se coincide que a primeira sílaba da palavra seja também a sílaba forte.

Encontros consonantais como os que citas (PL, FR, PR, FL, BL) são um pouco mais complexos de serem produzidos e podem aumentar tua gagueira. Mas também não é regra.

Chato isso, não?

Essa é nossa realidade na gagueira. Temos indicadores sobre vários de seus aspectos, mas não temos verdades absolutas. E seria injusto de minha parte não te informar sobre isso. Se estás bem informado, acredito que terás condições muito melhores de agir sobre o que te acontece.

E, finalmente, o cérebro aprende por repetição. Então, olha só que chatice ainda maior: quanto mais se gagueja, mais o cérebro aprende a gaguejar. Essa é uma das razões porque a gagueira vai ficando pior com o passar do tempo.

Portanto, podes começar a te ajudar gerenciando o teu estresse e melhorando a auto-estima também. Podes procurar um profissional da psicologia para te ajudar a manejar o estresse e o sentimento de inferioridade. Não vai ajudar na gagueira especificamente, mas pode melhorar tua qualidade de vida nestes aspectos.

E, principalmente, procura um fonoaudiólogo especializado em gagueira aí na tua cidade. Se não encontrares ninguém, procura nas cidades vizinhas. Ou pede ajuda para a Abra Gagueira que eles podem te indicar o local mais próximo de ti que tenha profissionais que trabalhem com gagueira.

Essa resposta ficou mesmo comprida, não? Tomara que a leias até o final. Um abraço e boa sorte.
Anelise



Nome ou iniciais: PAULO SÉRGIO
Cidade/Estado: RIO DE JANEIRO/RJ
Profissão: EMPRESÁRIO DO RAMO DE INFORMATICA
Pessoa que gagueja? Sim
Familiar de pessoa que gagueja? Não
Postado em: 17/03/2009 17h50min

Pergunta:
TENHO NECESSIDADE DE FICAR CURADO, A QUEM DEVO PROCURAR

Resposta:
Olá Paulo Sérgio, tudo bem?

Imagino que, depois de leres os textos e as informações que estão neste site, já deves saber que as causas da gagueira ainda são desconhecidas. Isso quer dizer que, se não conhecemos as causas, também não conhecemos a cura. Mas temos tratamento! E essa é a boa notícia.

Por uma questão de honestidade e respeito à pessoa que gagueja, não prometemos cura. Simplesmente porque a ciência ainda não a conhece. Mas já entendemos bastante de gagueira para podermos prometer melhoras significativas. Portanto, fica atento às curas milagrosas oferecidas por aí. Se estas ditas soluções realmente fossem eficazes, não estarias aqui me perguntando sobre isso, não é mesmo?

Gagueira é um problema de comunicação e deve ser tratada por um fonoaudiólogo especializado no assunto. Existem formas diferentes de tratar gagueira. Se tiveres mesmo desejo de melhorar, te entrevista com alguns profissionais da área e tenta ver com quem consegues uma boa sintonia. Esse fator pesa bastante no sucesso do tratamento.

E começa a organizar tuas idéias sobre cura, no estrito senso da palavra. O fato de não haver ainda uma cura definitiva, não deve desestimular o teu desejo de melhorar tua qualidade vida. É esse um dos objetivos mais importantes que temos que procurar, segundo a Organização Mundial da Saúde. Um tratamento fonoaudiológico adequado poderá te auxiliar na conquista de uma comunicação mais eficaz.

Aí no Rio de Janeiro tem fonoaudiólogas especializadas que trabalham com gagueira. Podes encontrar seus endereços eletrônicos no site.

Um grande abraço
Anelise



[ VOLTAR ]

Nome:      Email:      


Copyright © 2005/2017. Associação Brasileira de Gagueira - ABRA GAGUEIRA

powered by
ID360 NM